domingo, 17 de março de 2013

Com "show" de Réver, Atlético goleia o América por 5 a 2 no Campeonato Mineiro

O capitão do Galo marcou três gols - duas pinturas - e foi o destaque da partida

Thiago Madureira - Superesportes


A categoria de Ronaldinho Gaúcho não fez falta ao Atlético no clássico deste domingo contra o América, válido pela sexta rodada do Campeonato Mineiro, no Estádio Independência. Isso porque o zagueiro Réver tratou de dar seu “show particular”. O zagueiro marcou três gols - duas pinturas - e foi firme na defesa. Leandro Donizete e Tardelli também fizeram para o Galo. Fábio Júnior e Laércio descontaram para o América.

Com o resultado, o Atlético reassumiu a segunda posição, com 12 pontos e um jogo a menos. O América se complicou, e está a quatro pontos do Tombense, último time na zona de classificação para a segunda fase. Na próxima quarta, às 19h30, o Galo encara o América-TO, fora de casa. No mesmo dia, o Coelho pega o Guarani, no Independência, às 22h.

Primeiro tempo intenso

Misterioso, Cuca só revelou o Atlético no vestiário do Independência. Em função do jogo em La Paz, contra o Strongest, pela Libertadores, na última quarta-feira, o técnico resolveu poupar Junior César e Leonardo Silva, além de Ronaldinho Gaúcho. Para substituir R10 na articulação das jogadas, Guilherme, recuperado de um estiramento na panturrilha, foi acionado como titular para fazer sua estreia na temporada.

Mesmo com mais volume de jogo nos primeiros minutos, o Atlético saiu em desvantagem no placar. Aos 10, em ótimo cruzamento de Gedeílson pela direita, Fábio Júnior cabeceou e marcou para o Coelho. No lance, falha dupla do setor defensivo alvinegro: tanto no lançamento para a área quanto na finalização da jogada os americanos estavam desmarcados.

O gol deu mais intensidade à partida. O Atlético chegou principalmente em jogadas rápidas na entrada da área. Aos 14, Guilherme acionou Jô, que tocou para Tardelli chutar. A bola passou por Neneca, mas Lula espanou na pequena área. Seis minutos depois, Tardelli chutou para defesa. O América, por sua vez, respondia principalmente em chutes de fora da área e cruzamentos para o isolado atacante Fábio Júnior.

Guilherme, ainda buscando o ritmo de jogo ideal, não fugiu da responsabilidade de ser o criador do time e se mostrou participativo. Em função da boa marcação feita pelo América, o meia errou muitos passes e foi vaiado por parte da torcida.

Aos 32 minutos, Leandro Donizete empatou o jogo. Bernard chutou cruzado, Neneca espalmou para o meio da área e Leandro Donizete entrou livre e marcou seu primeiro gol com a camisa do Atlético.

O Atlético ainda teve chances de virar na etapa inicial. Na melhor oportunidade, Guilherme cruzou para Bernard, que, sozinho, chutou para fora.

Réver brilha na defesa e no ataque

Precisando se recuperar no Estadual, o América voltou para o segundo tempo mais agressivo. Em bela jogada, Doriva deixou Richarlyson na saudade e cruzou para Fábio Júnior, que escorou para Juninho bater. Victor fez uma boa defesa.

O Atlético respondeu com Tardelli, que chutou cruzado. A bola passou rente à trave. A partir daí, Rever começou seu show particular. Aos 13 minutos, um golaço. O capitão do Atlético recebeu lançamento em cobrança de falta de Tardelli, dominou e encobriu Neneca. Claudinei dava condição ao zagueiro.

Aos 14, outra pintura do zagueiro. Após desvio na cobrança de escanteio, Réver acertou um chute plasticamente perfeito. A bomba foi a meia altura, no canto esquerdo de Neneca. Na defesa, Réver ainda interceptou uma boa oportunidade do América tirando de “letra”.

E ainda teve mais: aos 34, ele fez o terceiro gol na partida. Bernard cobrou escanteio e ele só escorou para o gol. Aos 36, o América diminuiu com Laércio.

Para coroar a goleada, Bernard lançou Tardelli, que driblou Neneca e marcou o último gol da partida.

ATLÉTICO 5 X 2 AMÉRICA
ATLÉTICO
Victor; Marcos Rocha, Gilberto Silva (Rafael Marques), Réver e Richarlyson; Pierre, Leandro Donizete, Guilherme (Luan), Diego Tardelli e Bernard; Jô (Alecsandro).
Técnico: Cuca

AMÉRICA
Neneca; Gedeílson (Patrick), Everton Luiz, Lula e Wanderson; Claudinei, Leandro Ferreira, Doriva, Juninho (Kaká); Geovanni (Laércio) e Fábio Júnior.
Técnico: Paulo Comelli

MOTIVO: sexta rodada do Campeonato Mineiro
LOCAL: Estádio Independência, Belo Horizonte
DATA: domingo, 17 de março de 2013, às 18h30
ÁRBITRO: Cleisson Veloso Pereira (CBF/FMF)
GOLS: Réver (3), Tardelli e Leandro Donizete para o Atlético. Fábio Júnior e Laércio para o América.
ASSISTENTES: Guilherme Dias Camilo (Aspirante FIFA/MG) e Breno Rodrigues (CBF/FMF)

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Imprensa mundial exalta futebol do Galo: "Tem que tirar o chapéu e contemplar"


Vitória do Atlético, por 5 a 2, na Copa Libertadores virou destaque na imprensa

Thiago Madureira - Belo Horizonte
Roger Dias - Argentina





O futebol bonito e ofensivo do Atlético na goleada dessa terça-feira contra o Arsenal, por 5 a 2, pela segunda rodada da Copa Libertadores, foi exaltado pelos principais jornais do mundo.

As atuações mais destacadas foram as de Ronaldinho Gaúcho e Bernard. “O Atlético entregou em sua visita a Argentina um manual de como seganha, encanta e goleia, ainda que se trate da Copa Libertadores. Destruiu o Arsenal com um futebol emocionante de ataque, conduzido sabiamente por Ronaldinho”, publicou o Clarín, principal jornal argentino.

O Olé segue a mesma linha de contemplação ao estilo de jogo do Galo, que lidera o Grupo 3 da competição, com duas vitórias em duas partidas: “O que se pode dizer. Tem que tirar o chapéu e contemplar o que fez o Atlético contra o Arsenal Sarandi”.

Por sua vez, o site Pasion Libertadores vai além e já considera o time de Cuca um dos favoritos. “A terceira semana da fase de grupos deixou uma certeza na noite de Sarandi: a Copa Libertadores já tem seu primeiro candidato ao título”.

La Canchalenna publicou que “o talento de Ronaldinho e os gols de Bernard foram demasiados para a capacidade de reação do Arsenal”.

No Paraguai, o ABC diz que o “Atlético brilhou e mostrou todo seu poder de fogo para destruir o Arsenal”.

A partida também ganhou destaque na Europa. Na Espanha, o Mundo Deportivo fala sobre a perigosa entrada sofrida por Ronaldinho, já no fim do jogo. Na Itália, a Gazzetta dello Sport e o Corriere dello Sport incluíram o vídeo com os gols da partida em suas respectivas páginas na internet.

Quarteto fantástico do Galo

Roger Dias - Enviado Especial


Avellaneda – Tudo tinha que dar certo. Time em boa fase, torcida empolgada e clima totalmente tranquilo e de respeito mútuo, sem atos hostis ou catimba. Só faltava o Atlético fazer seu papel no gramado. No pequeno distrito de Sarandí, em Avellaneda, a 15 quilômetros de Buenos Aires, o Galo completou sua saga na Argentina com sucesso e vitória. Muito se deve ao prata da casa Bernard. Em seu primeiro jogo internacional, o garoto desequilibrou a favor dos mineiros e garantiu a goleada fácil por 5 a 2, na noite dessa terça-feira, no Estádio El Viaducto, e assumiu a liderança do Grupo 3 da Copa Libertadores. Não por acaso, o técnico Cuca revelou que Luiz Felipe Scolari o consultou sobre o armador para a Seleção. E ele se tornou o primeiro brasileiro a marcar três vezes na Argentina pela competição. Aliás, o alvinegro é o primeiro clube estrangeiro a balançar as redes tantas vezes na terra do tango.

Os rastros do trem que passa perto do estádio serviram de inspiração para a equipe mineira. Dava para ouvir dentro do gramado o barulho tenso das máquinas. E o alvinegro se sentiu como uma locomotiva em campo, em noite do quarteto ofensivo. É claro que o time de Cuca passou sustos durante toda a partida, sobretudo devido aos erros de posicionamento, mas não pareceu se intimidar com a pressão da torcida do Arsenal, que só parou de cantar no fim do primeiro tempo e no encerramento da partida. E sem os rojões, que causaram tragédia em Oruro, na partida entre San José e Corinthians.

No acanhado El Viaducto, controlar os nervos foi o objetivo inicial do Atlético. Foi isso que Bernard executou com precisão. Com os ânimos acirrados no início, ele se recuperou e ganhou o duelo com o promissor Lisandro López, marcando três vezes, assegurando a tranquilidade para o time. Foi uma noite especial também para Diego Tardelli. Por ironia do destino, ele voltou a balançar as redes em seu retorno ao Galo longe do Independência. Mas cerca de 2 mil atleticanos estavam nas arquibancadas para aplaudi-lo. Leandro Donizete também se superou, mesmo sabendo que sua casa foi assaltada na segunda-feira. Com o caso solucionado, entrou em campo normalmente, tendo papel importante: marcar o colombiano Carbonero.

GOLS E AVALANCHE O primeiro tempo foi movimentado. Cuca se irritou quando viu de longe seus comandados permitirem a bela triangulação dos donos da casa logo no primeiro minuto. Depois de corta-luz de Benedetto, o oportunista Furch, cara a cara com Victor, chutou no canto direito. No entanto, o Atlético não se apagou e virou com tranquilidade. Primeiro, com Bernard, depois de passe de Ronaldinho Gaúcho. Em seguida, com Diego Tardelli, ao receber cruzamento de Leandro Donizete.

Muito marcado, Jô deixaria a massa mais feliz ao fazer o terceiro, após passe de Júnior César. O Arsenal diminuiu com Aguirre, com uma folha-seca que enganou Victor. A etapa final foi de Bernard. Ao trocar de lado com Tardelli, ele matou o jogo, se beneficiando de falhas defensivas do Arsenal. O segundo gol do atacante veio a partir da falha de Nervo depois de lançamento de Ronaldinho. Ele ficou livre para fuzilar no gol de Campestrini. Depois, o próprio goleiro do Arsenal deixou a bola escapar no chute de Jô e o camisa 11 empurrou para o fundo das redes. Ronaldinho ainda perdeu pênalti no fim – foi o terceiro consecutivo do craque – , mas ninguém se importou. A goleada estava garantida, A torcida do Galo, entusiasmada, gritou “olé”, típica expressão latina, e prometia incendiar Buenos Aires.

Pelo Grupo 4, o Vélez superou o Peñarol por 1 a 0 no Estádio Centenário, em Montevidéu, e embolou a chave, que tem ainda Emelec e Deportes Iquique-CHI. Pratto, aproveitando cruzamento de Copete, definiu aos 42min da segunda etapa.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Entrevista do R10: Um Ídolo de verdade, um ídolo Alvinegro.


Fala Nação Alvinegra!

Já estamos com saudades de ver o Galo jogar, afinal final de semana sem jogo do Galo não é a mesma coisa. Fiquei até um bom tempo sem postar nada no blog, estava sem idéia, sem o que falar. Até hoje ccerca de 12:16 começa a passar no Esporte Espetacular uma entrevista feita com o Ronaldinho Gaúcho.

O que falar sobre esse Gênio, esse Ídolo MUNDIAL que veste a camisa do Galo com uma honra que é para poucos, que representa o manto Alvinegra como poucos fazem.

Ele conseguiu captar o verdadeiro sentimento Alvinegro.

Acompanhe como foi a entrevista de Ronaldinho Gaúcho:

"Um ídolo do mundo. Reverenciado em todas as línguas, em todas as cores. Não seria estranho se virasse uma estrela, se andasse meio marrento. Mas melhor não julgar pelas aparências. Ronaldinho é um homem que chora. Um ídolo que reverencia a torcida.

- A torcida do Galo veio preencher minha vida, completar o que eu precisava. É uma coisa que jamais vou esquecer em minha vida.

A história de Ronaldinho Gaúcho com o Atlético-MG começou com uma chegada discreta.

- Em todos os clubes em que cheguei, sempre teve apresentação, teve festa. No Galo, não. Cheguei, treinei e eu fui me encontrar com a torcida no estádio.

Além disso, em Minas, foi acolhido por um amigo.

- Cuca é um amigo, é muito bom trabalhar com um amigo. Cuca jogou com meu irmão, me viu criança. Então, tenho um carinho muito grande por ele, e ele por mim, por ter me visto criança.

Ronaldinho logo ficou à vontade em Belo Horizonte.

- Aqui lembra muito minha cidade, lembra Porto Alegre. O lugar que moro é afastado do centro da cidade, do tumulto, é uma vida mais tranquila. Adoro estar perto do mato, ter um monte de bicho por perto, poder andar bem à vontade, com o pé no chão, sem camisa, largado. As pessoas falam que estou virando mineiro, mas sempre tive um jeito mineiro. Mesmo sem ser mineiro, sempre gostei de ter meu jeito mais quieto.

Mas não se deixe levar pelas aparências. Ronaldinho é gaúcho!

- Fico assustado com o que comem de queijo aqui. É um absurdo. Eles querem até queijo derretido no churrasco. Na minha terra, churrasco é churrasco. A carne é muito diferente.

Diferente é o que ele trouxe para os mineiros. Uma ginga de Porto Alegre, com influência do Rio de Janeiro.

- Lá no Sul também tem samba, tem ginga. O pessoal da comunidade ama o samba, vive disso, e eu sou cria disso, de onde me criei. Isso, desde pequeno. O Rio de Janeiro foi o paraíso para tudo o que gostava. Ali foi onde tudo aconteceu, a música, o samba.

Uma ginga diferente para celebrar cada gol. A resposta nas arquibancadas vem com o grito de Galo. Que canta todo dia, sem cansar.

- A torcida do Galo é a mais fanática que tem. Quem joga aqui, jogou aqui, se arrepia. É uma torcida que sofre, que está há 13 anos sem jogar uma Libertadores, há 41 sem ganhar um Campeonato Brasileiro, e, todo fim de semana, está presente. Meu Deus do céu, tem que ser atleticano mesmo.

Ronaldinho Gaúcho chora ao falar de dona Miguelina (Foto: Valeska Silva / Globoesporte.com)

Amor recíproco. Na alegria e na tristeza.

- Vivi muita coisa no último ano, foi difícil mesmo, mas estava lá. Na hora que minha mãe ficou doente, eles levantaram a bandeira com a cara da minha mãe, me abraçaram.

Dona Miguelina estava com câncer. Ronaldinho pensou em desistir do futebol.

- Quando minha mãe adoeceu, falei que não teria mais porque continuar. Achei que era a hora de parar e cuidar da minha mãe. Todo mundo me deu força. Agora, eu vou até o fim com o Galo. Mas minha mãe fez o último exame, está livre do câncer, de tudo. Recebi um monte de carta de atleticanos, todos disseram que estavam orando muito. A força que me deram serviu para eu continuar jogando.

Como um bom mineirinho, Ronaldinho quer retribuir.

- Imagine ganhar uma Libertadores com o Galo. Não sei o que seria. O que sei é que teria feriado de uma semana em BH.

Como um bom brasileiro, Ronaldinho ainda quer muito mais.

- Quero jogar minha última Copa do Mundo. Meu pensamento é fazer o melhor no Galo, para chegar bem à Seleção. Quem sabe a Seleção pode jogar uma semifinal aqui no Mineirão. Seria lindo poder fazer parte disso."

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Recepção do Tardelli em Confins... Seja Bem Vindo de Volta Don Diego!

Seja bem vindo de volta Don Diego!


Essa massa te recebe com todo orgulho e paixão que temos pelo Galo, afinal são poucos que como você honram de coração esse manto sagrado do Galo!

Afinal como disse o nosso querido Fake mas nem por isso menos atleticano @AlexandreKaIiI disse “Porque pra gente, é muito mais importante um craque que torce, sofre e quer estar no Atlético, do que qualquer outro… porque pra nós, Tardelli é maior que Messi pelo simples fato de ser atleticano.”


Seja bem vindo de volta Diego Tardelli! O bom filho a casa torna!

No retorno ao Atlético, Diego Tardelli recebe homenagem em letra musical: "Tô Voltando"


Tô voltando




Pode ir armando o coreto
E se vestindo de branco e preto
Eu tô voltando

Põe meia dúzia de cerveja pra gelar
Bota o bandeirão na janela
Eu tô voltando

Chama a massa pra arena ocupar
Que é lá mesmo que a gente vai vibrar
Quero te abraçar, pode comemorar
Eu tô voltando

Diz para todo mundo que é torcedor
Grita que o Galo é forte e vingador
Que eu tô voltando
Não importa se no frio ou no calor
Esse time sempre foi o meu amor
E eu tô voltando

Faz uma faixa imensa para eu notar
Que eu quero é fazer a rede balançar
Quero ratatá
Pode se preparar porque eu tô voltando

Põe pra tocar o nosso hino
Volte ao tempo de menino
Eu tô voltando

Não dá folga pro rival
Diz que nosso time é o tal
Que eu tô voltando

Fala pro Cuca se alegrar
E diz pro R10 e pro Bernard
Que a gente vai arrebentar
Quero festejar!
Quero lá, lá, lá, quero lá, lá, iá
Porque eu tô voltando!


(Álvaro Fraga, a partir da letra de "Tô voltando", de Paulo Cesar Pinheiro-Maurício Tapajós)

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Com influência de R10, Atlético-MG aponta para atacante Diego Maurício


Atleta de 21 anos toparia voltar ao Brasil

Atleta que está atuando na Rússia, aceitaria retornar ao Brasil

Menos de seis meses depois de deixar o Flamengo e se transferir para o Alania Vladikavkaz, da Rússia, o atacante Diego Maurício poderá voltar ao futebol brasileiro. O Atlético-MG foi o clube que mostrou um interesse primário no jogador de apenas 21 anos, sendo que a possível vinda de 'Drogbinha' seria uma influência direta de Ronaldinho Gaúcho, ex-companheiro nos tempos de Fla.

"Teve sondagens do Atlético-MG mesmo, em cima do jogador. Mas nada muito oficial. Posso dizer que houve um 'namoro'. Não há uma conclusão de nada, pois não chegou nada concreto. Porém, houve um contato de pessoas ligadas ao Ronaldinho Gaúcho", afirmou o empresário de Diego Maurício, Orlando Júnior, ao LANCE!Net.

Diego Maurício deixou o Flamengo em agosto de 2012, vendido ao Alania, então recém-promovido à elite do futebol russo. Tendo 80% dos direitos econômicos do jogador, o time carioca recebeu R$ 7 milhões pela venda.

Contudo, apesar de ter conseguido a valorização salarial que não tinha do clube carioca (na Rússia, ele recebe cerca de R$ 100 mil mensais de salário), Diego já pensa em voltar ao Brasil e, segundo seu agente, o Galo seria uma excelente casa, não só por causa da presença de R10.

"Com certeza o Diego Maurício gostaria de jogar no Atlético-MG. O Atlético, com a estrutura que tem, pagando salários em dia, atrai qualquer jogador. No Flamengo, o Diego vivia uma situação complicadíssima, com salários atrasados. Ele era um jogador em início de carreira e conseguiu sair para ter uma valorização financeira. Mas, mesmo sendo muito bem tratado na Rússia, ele sente a saudade do Brasil, da sua família", disse o representante do atacante.

Caso o Atlético-MG avance para trazer Diego Maurício, ele viria para disputar uma vaga como ponta-direita do ataque, posição mais carente do time comandando por Cuca. Com isso, Diego Tardelli não teria dúvidas de que seria o homem-gol do Galo na Libertadores, já que ele poderá ser escalado mais recuado, caso não venha outro reforço ao Alvinegro.

Resultado da Enquete - Novo Manto do Galo



Após o lançamento do novo Manto do Galo, fizemos uma enquete perguntando se a torcida aprovou o novo uniforme lançado pela Lupo.

Você Gostou do novo manto sagrado do Galo 2013?


Sim         -           66%   (82 Votos)

Mais ou Menos -  23%   (29 Votos)

Não        -            10%   (13 Votos)

Total de votos: 124


Pelo jeito a Massa aprovou o novo uniforme feito pela Lupo, que assinou com o Galo o contrato de 2 anos no valor de R$25 milhões.
A camisa de jogo deverá custar cerca de R$199,00 e terá uma edição especial da Libertadores por cerca de R$249,00.

Vídeo Mostrando vários momentos da Torcida do Galo no Clássico

Vídeo feito pelos nossos amigos  da Web Rádio Galo em que se mostra vários momentos da torcida do Galo no novo Mineirão, uma festa muito bonita da torcida atleticana em todos os estádios. Mostrando as barras da torcida, os cantos, o Galo Doido etc.
Vídeo feito no clássico Atlético 1 x 2 Cruzeiro pela primeira rodada do campeonato mineiro de 2013. 03/02/2013


Vídeos da Torcida do Galo no Clássico Atlético 1 x 2 Cruzeiro - 03/02/2013

Vídeos da torcida do Galo no Clássico Galo x Marias no novo e vergonhoso estádio Mineirão, pela primeira rodada do campeonato mineiro de 2013.

Torcida cantando Tardelli Gol Gol - Atlético x Cruzeiro (Mineiro 2013) 03/02/13


Hino do após o Gol, torcida comemorando - Atlético x Cruzeiro (Mineiro 2013) 03/02/13 

Mascote Galo Doido em Campo - Atlético x Cruzeiro (Mineiro 2013) 03/02/13 

Entrada dos Goleiros do Galo - Atlético x Cruzeiro (Mineiro 2013) 03/02/13